sábado, abril 05, 2008

Bravo’s Creek (08-03-08)


Por menor e mais simples que seja... Por mais raso e estreito que pudesse estar. Um sonho antigo correu pelas águas do pequeno córrego...
Como se fosse toda a inocência que acreditava ter se esvaído num mundo que sempre soube que não me pertencia... A pureza delicada de um sonho adolescente correu pelo meu corpo da cor da água que nascia ali tão perto de mim, lavando minha alma de qualquer sujeira, tocando meu corpo de dentro pra fora.
E o medo... Medo que as horas pudessem passar rápido demais para que o coração pintasse a tela daquele momento... o medo de olhar nos teus olhos e me cegar com a luz inacreditável que eles tem, medo de olhar pra eles e não conseguir mais virar o rosto pra outra paisagem...

Senti naquele córrego a imensidão do rio para o qual ele corre. A imensidão do que se torna meu mundo com você vivendo nele...

“Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto”
(Ana Carolina – Ruas de Outono)

Um comentário:

Dumuro disse...

SECURITY CENTER: See Please Here